Economia

  1. Notícias
  2. Economia
  3. Reputação Setor Mineral no Brasil: levantamento do IBRAM traz números para o setor em junho de 2023
Imagem: Vale / Divulgação

Reputação Setor Mineral no Brasil: levantamento do IBRAM traz números para o setor em junho de 2023

Pesquisa feita em parceria com a RepTrak faz um termômetro da atividade minerária no país


Ênio Fonseca

Notícias

Engenheiro Florestal especialista em gestao socioambiental, gestor de sustentabilidade na AMF. CEO da Pack of Wolves Assessoria Socioambiental, Conselheiro do FMASE. Foi Superintendente do Ibama, Conselheiro do Copam e Superintendente de Gestão Ambiental da Cemig. Membro do IBRADES.


O Setor de mineração tem reconhecida importância na cadeia produtiva nacional e internacional. Bens minerais estão presentes praticamente em tudo no nosso dia a dia. Na água que bebemos, nos fertilizantes que garantem a produção de alimentos, na construção civil, nos transportes, na geração, transmissão e distribuição de energia, em produtos diversos, além de gerar, em nosso país, mais de 200 mil empregos diretos e robusta arrecadação para o toda a economia e para o setor público.

A percepção do setor pela sociedade vem sendo acompanhada de perto por uma iniciativa intitulada “Reputação do Setor de Mineração no Brasil- Percepções e expectativas da Sociedade e de stakeholders estratégicos", realizada pelo IBRAM - Instituto Brasileiro de Mineração, junto com a empresa especializada RepTrak TEAM, cujos dados mais recentes foram apresentados à sociedade no mês de junho de 2023.

De acordo com o documento temos as seguintes considerações:

As 4 interfaces que formam a formam a percepção são:

1)   Atuação/Experiência Direta ( O que o setor faz?)

2)   Comunicação ( O que o setor fala?)

3)   Terceiros ( O que outros falam sobre o setor?)

4)   Contexto ( O que acontece no Brasil e no mundo?)

As duas primeiras podem ser mais controladas. Contudo, as duas últimas acontecem independente da atuação do setor/ da empresa.

Quanto ao perfil dos públicos pesquisados foram feitas 1000 avaliações quantitativas on-line entre 31/01 a 04/02/2023, sendo 49,4% do público masculino e 50,6% do público feminino distribuídas nas seguintes regiões: Norte 9,1%, Nordeste 28,5%, Sudeste 39,9%, Sul 14,6%,Centro-Oeste 7,8%.

Quanto à distribuição nas classes sociais tivemos: A 37,6%, B 47,3%, C 14,2% e D/E 0,9%

A reputação do setor junto ao público geral, no relatório de 2023, se situou no patamar 63,1% considerado mediano. Há um resfriamento da percepção, registrando 63,1 pontos na média geral – recuo de 2,9 pts na comparação com 2022.

Um elemento que surge mais forte e indica um impacto negativo nessa onda é a questão do garimpo e relação deste com o meio ambiente e os povos originários.

Há críticas fortes nesse sentido em diferentes estados do Brasil. Especialmente o público feminino e faixa de 45 a 64 anos mostra-se bem crítico a isso.

Dentre os aspectos racionais, a queda principal ocorre no fator "promove a geração de emprego e renda nas comunidades" com queda de -6,3 pontos. Também a avaliação de contribuição para o desenvolvimento do país e contribuição positiva à sociedade é mais baixa. E em ambiente de trabalho, registra-se um recuo forte também, seguido de uma queda na intenção de trabalhar no setor.

Há iniciativas positivas e que geram algum reconhecimento, mas não são suficientes para evitar a queda - especialmente porque dividem espaço com os temas negativos que fazem emergir preocupações antigas e não sanadas.

Quanto à percepção do setor pelos principais segmentos temos:

Junto à Imprensa: fraca/mediana; junto às Entidades de Classe: mediana/forte; junto ao Poder Público: mediana/forte; junto às Lideranças Comunitárias: fraca/mediana; junto aos Fornecedores: mediana; junto às ONGs: mediana; junto aos Empregados: forte.

Falas espontâneas trazem um peso forte à questão de segurança operacional, transparência e mineração sustentável para o resgate da confiança do setor.

Um levantamento detalhado como este, é uma iniciativa de transparência importante levado a efeito pelo IBRAM, e que conta com o apoio de diversas outras associações setoriais, como a Associação Mineradores de Ferro do Brasil- AMF. Conhecer a percepção dos diferentes stakeholders é essencial na busca de um relacionamento transparente, no entendimento dos desejos da sociedade, e na adoção das melhores práticas de sustentabilidade definidas nos conceitos ESG e nas ODS 2030 da ONU.

* Esta coluna tem caráter opinativo e não reflete o posicionamento do grupo.
Colunistas

Carregando...


Saiba mais